sábado, 22 de junho de 2013

demos as mãos

demos as mãos,
mas não pensem que nossas mãos não serão desenlaçadas.

não pensem que nossas caras não serão esfregadas contra o chão,
contra a lama e a sujeira, contra o lixo.
serão.
mas demos as mãos.

com as mãos juntas, forçaremos barreiras.
eles nos lançarão uns contra os outros, mas,
com as mãos juntas, como já conversamos,
empurraremos as palavras de mal e as atitudes ileais para longe.
não precisaremos nem matar. talvez, morrer.
mas com as mãos juntas
a corrente
jamais irá fender.

Nenhum comentário:

Postar um comentário